Quarta-feira, 15/12/10 - 11:32

Crime esclarecido - Filha e genro presos por matar casal

A Polícia Civil, por meio do Setor de Homicídios e Proteção à Pessoa (SHPP) de Carapicuíba, prendeu, nesta quarta-feira (15), duas pessoas acusadas de matar o empresário Milton Roberto Tafner e a esposa dele, Tereza Maria do Carmo Nogueira Cobra, no dia 2 de outubro, em Santana de Parnaíba, na Grande São Paulo.

R.N.T. e W.S. são filha e genro do casal assassinado e, após um laudo ter comprovado que havia sangue do casal morto na casa deles, foi decretada a prisão preventiva dos dois. Eles foram presos hoje, por volta das 7h.

O delegado titular do Setor de Homicídios de Carapicuíba, Zacarias Katzer Tadros, concederá entrevista coletiva, às 16h de hoje, na rua Soldado Paulo Sérgio Romão, nº 21, no Parque Santana, em Santana de Paranaíba.

Duplo homicídio
O empresário Milton Roberto Tafner, de 64 anos, e a esposa Tereza Maria do Carmo Nogueira Cobra, de 60, foram encontrados mortos, na manhã de 02 de outubro último, dentro da casa onde moravam, em um condomínio fechado no bairro Cururuquara, em Santana de Parnaíba. O caseiro, de 37, foi quem encontrou o casal e entrou em contato com a polícia.

Guardas municipais foram acionados para atender a ocorrência. No local foram recebidos pelo caseiro que contou que, por volta das 10h do sábado (02), funcionários de uma floricultura chegaram para fazer uma entrega para o casal. Quando foi levar as flores aos patrões não foi atendido e estranhou. Ele pulou a janela da casa e encontrou o casal muito ferido e caído no chão do quarto, provavelmente, já sem vida.

O caso foi apresentado da Delegacia de Polícia de Santana de Parnaíba, onde a autoridade policial solicitou perícia, exame necroscópico e apoio do  Grupo Armado de Repressão a Roubos e Assaltos (Garra). No local foi apreendido um colchão, que tinha pegadas de sapato, uma faca, provavelmente utilizada no crime, e amostras de sangue coletadas nos móveis e paredes. Uma equipe do Setor de Homicídios e Proteção à Pessoa (SHPP) foi acionada para investigar o crime.

Assessoria de Imprensa e Comunicação da Secretaria da Segurança Pública


Compartilhar em: