Segunda-feira, 30/01/06 - 20:28

Homicídios têm redução de 50% na Capital

Menos 2.842 homicídios na Capital de 1999 a 2005. Uma redução equivalente a 52,5%. Esse foi o número mais comemorado das estatísticas apresentadas hoje pelo governador do Estado de São Paulo, Geraldo Alckmin, e pelo secretário da Segurança Pública, Saulo de Castro Abreu Filho. Para o governador, os números refletem a forte presença policial nas ruas, o trabalho integrado entre as Polícias Civil e Militar, o trabalho de inteligência das corporações e a distribuição estratégica dos efetivos. "A Polícia está protegendo mais a população", afirmou.

Para se ter uma idéia da expressividade do número, a famosa política da "Tolerância Zero", implantada em Nova Iorque pelo prefeito Rudolph Giuliani (1994-2001), reduziu os homicídios em 57%, de acordo com o site da prefeitura da cidade norte-americana.

O governador considerou a queda paulista uma "curva impressionante", e ressaltou se tratar de uma queda nominal, ou seja, os índices caem, ainda que a população do Estado apresente crescimento. Considerando-se a taxa de homicídios por 100 mil habitantes, a diferença foi de 35,3 em 1999 para 18,2 no ano passado.

De acordo com Alckmin, a boa notícia já teve efeitos positivos sobre a expectativa de vida para os paulistas, que era de 71,5 anos em 2000, e passou para 73,1 anos em 2004, segundo dados da Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados (Seade). O aumento foi mais significativo para os homens: em quatro anos, a esperança de vida ao nascer subiu de 67,1 anos para 69,1. Mais um indício, já que as principais vítimas de homicídio são os jovens do sexo masculino.

"Todos os crimes contra a vida caíram a índices menores do que 1995", afirmou Saulo de Castro, lembrando que não é possível comparar com números anteriores, pois antes não havia a compilação estatística. Os dados apresentados hoje "são números de mais de uma década atrás", disse.

Crimes violentos

O total de crimes violentos, que inclui homicídio doloso, roubo, latrocínio e extorsão mediante seqüestro, diminuiu, de 2004 para 2005, 2,27% em todo o Estado; e 5,85% só na Capital.

O latrocínio teve redução de 20,35% no Estado. A principal queda ocorreu na Capital, com diminuição de 25,36%. Os casos de roubo a banco passaram de 151 para 133. E, só no Interior, foram 25% a menos.

Seqüestro

Os casos de extorsão mediante seqüestro passaram de 112 casos em 2004 para 133 em 2005. O secretário da Segurança assegurou, contudo, que o problema está sendo trabalhado e que o crescimento se deve à "popularização deste tipo de crime”. Segundo Saulo de Castro Abreu Filho, os valores médios dos resgates têm caído, bem como o tempo de cativeiro. Na investigação dos seqüestros, as ocorrências são estudadas separadamente, através de linhas de corte, como a idade da vítima, o valor do resgate exigido e a localização. O secretário da Segurança Pública elogiou o trabalho dos policiais, que têm alcançado sucesso em diversos casos, estourando cativeiros e libertando as vítimas.

Confrontos

A morte de pessoas em confronto com a Polícia caiu na comparação entre o último semestre de 2004 e o mesmo período de 2005. De 149, passou para 59. Em relação a todo o ano, no Estado, a redução foi de seis casos para a Civil (21%) e 49% para a Militar, o equivalente a 267 mortes. O número obtido nos últimos três meses de 2005 é o segundo menor desde o 3º trimestre de 1995, quando foi iniciado o levantamento sistemático de dados.

O governador parabenizou a equipe da SSP pelos resultados. "Por esse esforço permanente, que é uma guerra que deve ser vencida todos os dias, de proteção da vida das pessoas, das famílias", disse. E ponderou, ainda, que não se trata de um trabalho fácil, "mas que São Paulo mostra que é possível, reduzindo esses índices".

Luisa Destri


Compartilhar em: